terça-feira, 26 de janeiro de 2016

GESTÃO DE FACILIDADES EM FRANCA EXPANSÃO NO BRASIL


A ‘Gestão de facilidades‘, também conhecida como ‘Facilities management‘, está em franca expansão no Brasil, sendo responsável pela gestão de espaços e processo que visam a completa interação do homem, comunidade e ambiente tecnológico.
A área, que sempre esteve presente no mercado com outros nomes, como Gestão Patrimonial ou Infraestrutura Predial,  está sendo vista como uma ferramenta estratégica de mercado.
Quem faz a análise é o gerente administrativo da Top Imóveis, Roberto Pimenta. A empresa onde trabalha possui 23 anos de atuação no mercado imobiliário paranaense, sendo líder no mercado imobiliário corporativo de Curitiba, sempre oferecendo soluções personalizadas para grandes empreendimentos.
Roberto Pimenta explica que a Gestão de facilidades, em essência, busca o aumento da qualidade dos produtos e serviços  de qualquer empresa, buscando maior conforto e segurança para os funcionários e consequentemente maior produtividade nos ambientes de trabalho.
Quando você está em casa (condomínio), no trabalho, no hospital, no shopping, ou em um empreendimento comercial estes ambientes podem estar sendo gerenciados por um profissional da área de Facilities.
O trabalho tem sido visto como um elo e suporte da cadeia de valores das empresas,  que passa não apenas a controlar atividades de manutenção predial e instalações, gerenciamento de utilidades, condicionamento de ar e sistemas prediais, mas também gerenciamento de resíduos, espaços ergonômicos, segurança, limpeza, estacionamento, conveniências, jardinagem, manutenção da imagem corporativa, projetos específicos para atendimento legal e todas as atividades indiretas que alavancam o posicionamento estratégico das empresas, explica Pimenta.
Em sua análise, a Gestão de Facilidades (Facilities Management) vem ganhando importância no País devido à  intensa concorrência internacional,  que vem sendo desenhada  desde a década de 90, fazendo com que  empresas nacionais busquem aperfeiçoamento não apenas na cadeia produtiva, mas também nos elos de suporte.
Roberto Pimenta cita como exemplo a ABRAFAC (Associação Brasileira de Facilities), “ que surge como uma possibilidade de se organizar mais a área, já que seu foco é o  aperfeiçoamento de profissionais ”.
A associação é filiada ao International Facilities Management Association (IFMA),  que é uma instituição com grande experiência em treinamentos e certificações em todo o mundo, ressalta ele.
“Um dos fatores que asseguram a competitividade de uma empresa é a sua busca constante pela inovação de seus produtos e serviços.  Sendo assim, o gerenciamento de Facilities engloba desde a área de Liderança e Capacitação até Real Estate, Saúde e Bem-estar, Segurança, Multisserviços ou Especialização, Terceirização Estratégica, Formação do Profissional de FM, Retrofit e Modernização, Água e Energia, Sustentabilidade, Arquitetura Corporativa e Climatização”, argumenta.
As atividades de Facilities englobam várias áreas (Multisserviços, Água e Energia, Sustentabilidade, Arquitetura Corporativa e Climatização, entre outros)  e podem ser realizadas por empresas de terceirização ou por terceirização total através de empresas gerenciadoras, como a Top Imóveis (estas cuidam da contratação de quantas empresas forem necessárias ou das integradoras, que através de um único contrato se responsabilizam por todos os serviços necessários).
Top Imóveis é uma das parceiras da Construtora e Incorporadora Laguna nas áreas de consultoria de Facilities e locação dos empreendimentos corporativos.
No Brasil,  já estão operando gerenciadoras como a CB Richard Ellis, Cushman & Wakefield, Jones Lang LaSalle, Mark Building e as integradoras Dalkia Brasil, ISS Brasil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário